26/10/2011

A crise tem muito que se lhe diga!


Muito que se tem falado em crise nos últimos tempos. Cada vez o cerco parece que aperta mais e ,principalmente depois das ultimas declarações do Passos Coelho, os portugueses ficaram completamente de boca aberta. Mas isto da crise realmente tem muito que lhe diga. No outro dia, uma Professora minha disse uma coisa, na qual ainda não tinha pensado, mas que fez todo o sentido!
Segundo ela, passou uma reportagem na tv onde se perguntava a moradores do interior Alentejano e Norte se a crise já lá tinha chegado. A resposta deles foi que não, desde que tivessem o que comer, não havia crise que lá chegasse. e atenção eram pessoas realmente humildes!!
Isto só demonstra uma coisa: A crise chega principalmente a quem tem padrões de consumo altos e não consegue diminui-los. Claro que com os últimos cortes já quase é impossível ter o mínimo e indispensável para muitas famílias, mas eu estou-me a referir a outro tipo de pessoas. Aquelas pessoas que se queixam imensamente da crise mas não conseguem abdicar de férias todos os anos, idas ao cinema semanais, jantares fora e renovar o guarda-roupa quase constantemente. 
A verdade é que o mal já está feito. Vamos ter de pagar por ele (e a culpa nem é nossa!) mas não vale a pena chorar em leite derramado e só nos resta adaptar os nosso rendimentos ao que vem por aí e deixar aqueles pequenos caprichos de lado. Custa-me essas pessoas que vão poder pagar as contas, a sua casa, carro, comer e no final de contas ainda se queixam que não pode fazer tudo o que quer.em nos próximos dois anos..
Não é tempo para esbanjar, deveríamos todos seguir o exemplo que falei no inicio do post, se eles conseguem, nós também conseguimos! E já falta "pouco" para termos tudo aquilo que gostamos novamente!
Mas agora realmente já chega de nos queixarmos, só nos resta seguir em frente da melhor maneira que conseguimos!

13 comentários:

  1. Eu vivo numa aldeia, nasci e cresci cá, e sempre me lembro das pessoas serem pobres e de muitos dos vizinhos cá da terra andarem sujos das lides agrícolas e não terem sequer condições em casa para terem água canalizada e gás, para tomarem um banho e lavarem a roupa. Pessoas que passavam fome e roubavam fruta dos pomares para sobreviverem, e ainda hoje existem pessoas pobres por aqui, por isso, uns cortes aqui e outros acolá, é só uma passagem de ano que não vamos ao estrangeiro, ou um verão que não vamos para o algarve, ou um natal sem prendas caras, ou um mês sem comprar roupa ou sapatos novos. Tudo se consegue se houver força de vontade, por isso é que a maioria dos portugueses tem de começar a pensar em gastar o que ganha, e não mais do que ganha.

    ResponderEliminar
  2. não podia concordar mais! eu e o bf não ganhamos milhões, os verões são sempre melhores que os invernos (pois o nosso trabalho assim o dita) e mesmo assim depois de fazermos contas à vida, este inverno vai dar para pagar casa, carro e comida para por na mesa. sobra pouco, mas sobra! decidimos não ter férias este ano e assim sempre temos um natal um pouco mais à vontade e não vai faltar nada!
    como disseste e muito bem, perante a crise, há escolhas que têm de ser feitas e prefiro cortar em cinemas, roupa e jantares, do que perder noites de sono preocupada com as contas! não temos culpa, pois não, mas que remédio temos nós do que ajustar tudo para sermos pelo menos felizes ;)

    bom post querida, adorei!

    ResponderEliminar
  3. acho que sim vale a pena chorar pelo leite derramado, isto porque, claro que nao vai alterar nada mas em termos politico-economicos é mais importante do que aquilo que julgamos. nao nos podem tirar o pao da mesa e nos simplesmente dizermos "esta bem". ha 10/15 que se avizinhava este cenário. tudo isto podia ter sido evitado de certa forma, mas nao foi e a culpa foi da má gestão do governo ao longo destes anos. todos eles vivem bem, consideravelmente bem, uns mais do que outros, e pedem aos pobres (e nao so claro mas sao os que mais sentem) para cortar. doi me o coração ver amigos dos meus pais que ja nao têm 99 cent para comprar um pacote de bolachas do pingo doce. claro que logo que tenhamos o que comer, trabalho e saude... temos "tudo". mas nada disto é justo.

    ResponderEliminar
  4. com isto nao estou a dizer que nao concordo nem contigo nem com a tua professora... porque ha pessoas que realmente nao sentem tanto a crise...pouco tiveram ao longo da vida e nunca se queixaram... será mais um esforço que terão que fazer. mas juro te parte me o coração ver pessoas que ja viviam com dificuldades e agora...

    ResponderEliminar
  5. Concordo plenamente com o teu post, falo por mim que sp foi habituada que a vida não era fácil e tínhamos que fazer sacrifícios e hoje não me custa tanto cortar nisto ou naquilo mas existem pessoas que sempre pensaram e tiveram em grande e agora não sabem como deixar isso...

    ResponderEliminar
  6. Adorei... Não podia concordar mais!

    ResponderEliminar
  7. sim o mal já está mesmo feito!
    Agora é levar tudo devagar e certo. A ver se a crise se vai embora! :)

    ResponderEliminar
  8. E verdade isso, que a crise vai atingir quem tem padrões mais altos e quem está habituado a consumir muito. De qualquer modo a verdade é que todos nós gostamos de fazer uns programas diferentes de vez em quando.

    ResponderEliminar
  9. Acho que o nosso país esteve sempre em crise LOL

    Espero que tenhas um bom fim-de-semana!
    Beijinhos ***

    ResponderEliminar
  10. Em parte concordo, é um facto mas todos estamos a ser afectados.**

    ResponderEliminar
  11. Isto da crise é mesmo complicado...o que me resta dizer é que é preciso ter calma, muita calma, melhores dias virão com toda a certeza!!!Bjos:)

    ResponderEliminar