08/02/2014

Um pequeno (grande) susto!


O meu avô sofre muito com uma hérnia que tem nas costas. Já foi operado mas a desgraçada (ou outra não percebi bem) voltou e há dias que não se aguenta de dores. Ele tinha opção - ser operado. O problema é que não lhe deram garantias que ficaria bem e que havia uma probabilidade da coisa correr mal e ele ficar numa cadeira de rodas. Ora estamos a falar de um senhor com quase 80 anos que tem a sua casinha no meio do campo onde vive com a minha avó e que de lá não quer sair. Têm muitas árvores, arbustos e todo um jardim do qual cuidam com o maior apresso. Gozam a reforma a passear bastante, sendo que ele conduz e a possibilidade de ficar numa cadeira de rodas não lhe agrada de nada. Ora assim vai aguentando aguentando mas deixa-nos sempre preocupados.
Quando a sua fase de emigração acabou decidiram que era na casinha que sempre fora deles que queriam continuar mas isso trás alguns dissabores. A casa é completamente afastada da civilização, se eles precisarem de alguma coisa mais urgente é muito mais demorado e complicado chegar até eles. Ontem foi um desses dias. Ele estava com tantas dores que a minha avó ligou para o Inem pois ele não estava sequer em condições de pegar no carro e precisava de ser visto e eventualmente tomar algo para as dores. A resposta do inem? Liguem para os bombeiros mais próximos que isso é com eles" - A SÉRIO??? Eu ainda não sei como a minha avó descobriu o numero dos bombeiros mas no meio da aflição toda a coisa podia ter corrido mal. Quer dizer já é muito dois velhotes saberem o numero do 112, ainda lhes pedem para ligar para os bombeiros mais próximos, porque um velhote está que não se aguenta de dores, não se consegue levantar ou seja o que for mas não é com eles!! Imaginem que era outra coisa qualquer ainda mais grave...aquele tempo perdido era o suficiente para o caso ter ficado mal parado! Epa ao menos faziam eles a chamada de forma a agilizar o processo! Sabem lá os velhotes quais os bombeiros mais próximos!
Pois que os bombeiros aparecem, o meu avô vai para o centro de saúde mas próximo e a minha avó decide ficar, sabe-se lá porque em casa (devia não querer deixar a cadela sozinha ou sei lá), agora imaginem: O meu avô a ser levado sem telefone ou qualquer tipo de contacto, nós preocupados sem saber se íamos a correr para esse centro de saúde ou se esperávamos que o mandassem para o hospital da terrina pois parecia-nos o que iam fazer e pronto assim foi um par de horas...Ligámos para o centro de saúde e a única coisa que souberam dizer foi "esse senhor ja teve alta" - Boa e agora?? Como é que ele foi para casa? Onde está? Não deveriam ter ligado para a mulher a avisar? Para a filha? Para o irmos buscar? Não... ele aparece de ambulância em casa uma hora de pois e pronto assim foi, caso resolvido.
Este tipo de situação para além de me deixar preocupada com o estado da saúde em Portugal e o modo como tratam os velhos deste país, faz-me preocupar-me pelos meus avós, lá sozinhos no campo, que muitas das vezes não nos querem preocupar e portanto nem nos dizem o que se passa...Deixar o campo está fora de questão para eles, mas nem sempre é fácil lidar com esta distancia...Vamos ter que pensar em soluções porque  assim não dá para continuar...
Bom fim de semana!!!!

17 comentários:

  1. Eu percebo o Inem porque há poucos meios de inem e eles tem de se "guardar" para casos de vida ou morte (isto sem desvalorizar o teu avô claro), mas concordo contigo que devia haver uma forma de passarem a chamada ou assim porque se não como é que uma pessoa sabe o número dos bombeiros ainda para mais num momento de desespero ? Desculpem a minha ignorância mas eu pensei que se ligasse para o 112 eles lá faziam uma espécie de filtração a ver o que era muito urgente passava para o inem o que era urgente mas não a necessitar de reanimação e afins para os bombeiros. Realmente é de deixar uma pessoa preocupada principalmente com os idosos que infelizmente nem sempre se conseguem desenrascar tão bem como nós no que toca a mexer em tecnologias. Olha ainda bem que foi só um susto e as melhoras querida :)

    ResponderEliminar
  2. Isto é uma vergonha. Quando tive o meu acidente na semana passada ligámos para o 112 3 vezes e ninguém atendeu. É ridículo. Que país!

    ResponderEliminar
  3. Que susto... É muito estranho, eles deviam ter encaminhado a chamada para os bombeiros...

    ResponderEliminar
  4. Isto é uma autêntica palhaçada, não tem outro nome. Cada vez se vêm mais situações assim :s
    Pois, ao que parece a rapariga só trabalha até meio da semana que vem, a ver vamos se a que a vem substituir é melhor :s

    Bom fim-de-semana e as melhoras para o teu avô :)

    ResponderEliminar
  5. Eu entendo bem isso... Os meus avós também moram num sítio isolado que para lá chegares tens que passar por um caminho com pedras, correndo o risco de escorregares e caíres... E o meu avô está numa cadeira de rodas, devido a um AVC que teve... Ninguém arranja o caminho porque aquela parte não é deles, ir lá ajudá-lo só mesmo os bombeiros... E as minhas tias, filhas dele, é que passam lá a vida a ajudá-los porque senão também não sei o que seria dos meus avós. É muito ingrato para os nossos avós isto tudo, especialmente porque são pessoas que trabalharam a vida toda e ainda trabalham :)
    Espero que o teu avô melhore :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. É de facto um caso complicado, mas entendo o lado deles, é a casa deles e onde gostam de estar! Este país é que enfim ... não sabe agradecer a quem já lhe deu tanto! Espero que tudo fique bem! Bjinhos e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  7. Há uns tempos foi um senhor atropelado aqui à porta, liguei para o 112, e eles é que contataram com os bombeiros mais próximos. Essa história é muito estranha e, no vosso lugar, eu ia queixar-me do que aconteceu, pois não é normal.
    No entanto, o mais importante é que o teu avô esteja bem.
    Bom fim de semana :)

    ResponderEliminar
  8. Isso é mesmo mesmo triste :( O nosso país não sabe cuidar dos seus velhos. Vejo isso no trato do médico da minha avó e na forma como mudou nos últimos tempos :s

    ResponderEliminar
  9. Depende das situações mas por vezes é mesmo preferível contactar os bombeiros mais próximos. Nem sempre o INEM é o mais rápido porque normalmente contactam sempre os bombeiros mais perto para aceder ao local.

    ResponderEliminar
  10. Portugal portugalinho.... Tanta coisa para ser melhorada!!!

    ResponderEliminar
  11. A família tem de estar sempre informada... que stress!

    ResponderEliminar
  12. O inem devia ter encaminhado para o número dos bombeiros., eu propria nao sei o numero dos bombeiros, apenas sei o 112 ....
    Este país ...

    ResponderEliminar
  13. Ainda bem que tocas nesse assunto, pois também descobri que tenho 2 hérnias na coluna e já sei, operar não mesmo =s

    E essa situação deixou-me parva. A sério que disseram isso? =S
    Tristeza.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  14. Houve uma altura em que a minha avó precisou de ir ao hospital por estar com imensas dores e a minha mãe ligou para o 112 e como não era considerado um caso urgente disseram que tinha de ligar para os bombeiros da zona, mas ao menos tiveram o cuidado de lhe dar o número para que ela não andasse feita barata tonta.

    Espero que o teu avó esteja melhor e se fosse a vocês iria queixar-me ao centro de saúde pelo facto de não terem contactado nenhum familiar quando deram alta ao senhor.

    ResponderEliminar