20/02/2015

Envergonhada pelo sistema Portugues!


Estou inervada! Aliás estou capaz de deitar fogo pelo nariz, olhos e boca!
Começando desde o principio, uma amiga minha relembrou-me o facto de eu ter direito ao fundo de desemprego pelos meses que trabalhei a contrato. 
Informei-me na segurança social disseram-me que sim, tudo indicava que teria direito para seguir com o processo no centro de emprego. 
Dei entrada com o processo e ainda sem este estar completo e ter direito ao tal subsidio pediram que começasse as minhas apresentações quinzenais na junta de freguesia. Então quer dizer ainda nem sei se tenho direito mas já tenho de andar tipo ex presidiária em apresentações mas tudo bem...
Qual não é o meu espanto quando esta semana recebo uma carta a dizer que para ter direito ao rendimento social de inserção (não foi bem isto para o que me propus) teria de apresentar um papel com o meu agregado familiar e os seus rendimentos. 
Primeiro, sou EU euzinha que requeria um subsidio, não os meus pais nem irmão para ter de escarrapachar a conta bancária deles ali. Além disso...Não lhes peço UM cêntimo há anos! Vivo com eles mas estou por minha conta que não gosto cá de xuliçes. O dinheiro é deles, quero que o usem para eles e meu irmão. Claro me me compram comida e pagam as contas, o que me afecta, mas com 26 anos não têm que me dar semanada ou o que quer que seja!
Além disso há aqui uma coisa muito engraçada! Para o estado se tens 25 anos e já não estudas o teu IRS tem de ser apresentado em separado ao dos teus pais, deixas digamos assim de fazer parte do agregado familiar deles para fins fiscais...maaaaaaas, se for para receber dinheiro do estado por estares desempregada então espera ai sim já fazes parte do agregado familiar deles! MELHOR descontas todos os meses para que caso te vejas num momento de aflição sem trabalho tenhas direito a um subsidio mas em vez disso mandam-te quase pedir dinheiro aos teus pais e ficam com o teu!

Claro que não vou entregar declaração nenhuma pois só tem direito a subsidio pessoas cujos rendimentos familiares sejam mesmo muito muito baixinhos o que graças a Deus não é o caso! 
Agora quer dizer não tenho direito a nada, não vou ter e tenho de ir à junta de 15 em 15 dias??? Tenham Santa paciência, é só descobrir o que é preciso para cancelar isto e já vão ver!

Sabem o que no meio disto tudo me revolta mais ainda? Ser preciso esta m*rda toda por causa de 100 ou 200 euros e depois conhecer N casos de "desempregadas" que recebem subsidios chorudos e que dizem à boca cheia que não querem voltar a trabalhar para cuidar dos filhos. Estamos a falar de pessoas que vestem Prada e Chanel, que têm mercedes e contam à boca cheia como enganam o sistema na hora de mandar os currículos obrigatórios! Pessoas cujos maridos têm empresas deles (onde elas dizem que trabalharam e foram despedidas para ter o dinheiro sem mexer uma palha)
Acho isto tão mas tão injusto...

38 comentários:

  1. Como eu te percebo. Estou neste momento desempregada e por acaso ainda vou recebendo qualquer coisinha mais quatro meses. No meu caso não me pediram os rendimentos dos meus pais, com quem vivo, mas conheço casos de quem pediram. Mas concordo com o que escreves na totalidade.
    Há dois anos precisei de solicitar ajuda judicial da segurança social. Não tive direito, exactamente por essa razão. Sou muito independente para fazer IRS, mas para receber ajuda pediram-me tudo e mais alguma coisa dos rendimentos dos meus pais. Não entreguei nada e lá tive de me virar de outra forma. Enfim... é o país que temos...

    ResponderEliminar
  2. Isto é tudo uma palhaçada, brincam com quem realmente quer trabalhar para poder ter ordenado e facilitam tudo aos malandros que andam por aí com rendimentos maiores do que muitas pessoas a trabalhar isto é uma vergonha

    ResponderEliminar
  3. Ohhhh mas como te compreendo !!! E depois de acabar o subsidio (imaginando que o receberias) ainda tinhas de continuar a apresentar-te na Junta de 15 em 15 dias mais uns 2 meses !!

    ResponderEliminar
  4. Tenho vergonha do sistema português... Depois admiram-se do número de pessoas que vão embora do país lol.
    Enfim, espero que tudo se resolva.

    ResponderEliminar
  5. Realmente é uma vergonha... mas é devido a pessoas assim que estamos como estamos! Uns trabalham e fazem por ter dinheiro, outros dizem que não querem trabalhar pois recebem o mesmo e estão em casa de papo para o ar, mas depois andam aí nas manifestações todas e mais algumas! Isso é que me tira do sério!
    Espero que consigas arranjar um trabalho rapidamente! Beijinho*

    ResponderEliminar
  6. O sistema de apoio ao desemprego foi completamente destruído nestes últimos tempos. Também estou desempregada e noto uma diferença abismal de há uns anos. :-(

    ResponderEliminar
  7. O sistema de apoio ao desemprego foi completamente destruído nestes últimos tempos. Também estou desempregada e noto uma diferença abismal de há uns anos. :-(

    ResponderEliminar
  8. Infelizmente existem muitos casos assim :/ Mais vale procurarmos emprego do que andarmos à espera de subsídios do estado, cujo este só ajuda aqueles que não querem fazer nenhum. às vezes ainda me pergunto, andamos nós a trabalhar para sustentar estes chulos? -.- enfim, muita força *

    ResponderEliminar
  9. É, isto anda tudo muito trocado de ideias. Passo-me quando vão à televisão queixar-se que o que recebem da seg.social é muito pouco, mas têm casa fornecida pelo estado e apresentam-se bem arranjadas, com cabelo pintado, unhas arranjadas, telemóvel topo de gama nas mãos e bons carros estacionados à porta dos prédios sociais, quando muitas vezes nunca mexeram uma única palha. E depois temos pessoas que trabalham, nunca pedem nada e quando pedem, é entrave atrás de entrave. Uma vergonha.

    ResponderEliminar
  10. Pois é uma filha da p*tice este País, estou tão farta de cá andar. Enfim.

    ResponderEliminar
  11. Na minha opinião, deverias ir à segurança social e explicar que querias requerer subsídio de desemprego e não rendimento social de inserção, isto porque são departamentos diferentes dentro da segurança social e pode ter havido alguma falha no envio do teu processo entre o centro de emprego e a segurança social.
    É normal ficarmos chateados com o sistema, mas não nos devemos esquecer que o sistema é feito por pessoas e as pessoas erram.

    ResponderEliminar
  12. Tens toda a razão!
    Diz-me uma coisa, descontaste quantos meses para a segurança social?


    Muitos beijinhos
    MUAH*
    Blog | Youtube | Facebook

    ResponderEliminar
  13. É preciso descontar 1 ano para teres direito a subsidio de desemprego. O que foste fazer ao centro de emprego foi apenas inscreveste lá e as presenças quinzenais são apenas presenças na qual tens que levar um papel escrito por uma "loja" "empresa" que é escrito pela mesma e que deve constar que estiveste lá a procurar emprego, senão o fizeres a tua inscrição é cortada. Como não estás a receber nada as presenças não costumam ser de 15 em 15 dias.
    Espero que tenha te ajudado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já estou inscrita no centro de emprego à cerca de um ano. Entretanto quando estive empregada mudei o meu estatuto lá como empregada mas à procura de outra coisa e quando acabou o trabalho pediram me para entregar um formulario assinado pela minha antiga patroa de como efectivamente estaria desempregada. Como descontei menos de um ano teria direito a um subsidio inicial de desemprego ao qual concorri. Pediram-me logo para me apresentar de 15 em 15 dias (e olha que já estive outra vez lá inscrita o que perfaz quase dois anos de iEFP e nunca mo tinham pedido antes) sendo que teria de mandar obrigatoriamente um curriculo por semana (tanta coisa) para provar que procurava emprego

      Eliminar
  14. Está tudo tão mal feito. Porque é que achas que os ricos estão cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres ? Uma vergonha este país. Uma vergonha!

    ResponderEliminar
  15. Continuo sem palavras para isso, a sério. Que vergonha de sistema :S

    ResponderEliminar
  16. Passei por isso tudo o ano passado. Não desanimes ;)

    ResponderEliminar
  17. Tudo verdade, nem me digas nada!

    Beijocas

    ResponderEliminar
  18. Acredito que seja frustrante :/ que situação! Já parece «O Processo». Como sempre.
    As pessoas descontam e fazem tudo para se tentarem precaver e depois não dá em nada... e são tantas as histórias!
    As «fraudes» já cansam. Acho que ninguém pensa sequer em fazer o que está correcto quando pode lucrar com o contrário. Às vezes quem critica faria o mesmo... Não estou a falar de ti, claro... Mas ninguém sabe. Também não posso falar muito, posso estar a ser hipócrita pelo que poderia fazer num campo hipotético, embora todos gostemos de pensar que não e faça por isso. Raros são os privilegiados que se insurgem... Apesar de tudo já cansa a história... Entã essa de ser despedida da empresa do outro para receber... E não há vergonha ou remorso... É haver oportunidade que é logo, moral para quê?... Detectar oficialmente essas coisas pode ser difícil. E não é fácil organizar um país...

    ResponderEliminar
  19. Neste país nada me espanta!

    A crise é paga pelos que menos podem...brincam connosco...

    Não desanimes!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  20. Não percebo muito disso, mas acho que isso não faz muito sentido. O teu agregado familiar és tu. Se ganhavas para ti, és tu. Quando eu estava na universidade para pedir a bolsa tinha de apresentar os rendimentos e bens do agregado familiar. Uma vez que o meu irmão ganhava para ele (embora em termos de comida, água, luz e gás os meus pais o continuassem a sustentar) e tinha o carro dele próprio, ele nunca foi considerado como parte do agregado familiar, e nunca tivemos qualquer problema com isso. Neste caso até ficávamos penalizados, uma vez que contávamos com os rendimentos dos meus pais e oficialmente para a universidade, tinham de ser sustentadas 4 pessoas (eu, mãe, pai e irmão mais novo), mas na realidade eram 5 (além dos 4, também o meu irmão mais velho).
    Vê bem essa situação, se o teu agregado familiar não és efectivamente só tu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também acho que não faz sentido algum e foi por isso que perdi mais de uma hora do meu tempo numa fila da segurança social para perguntar e não fazer asneira. O senhor mostrou-me na página da SS a definição de agregado familiar e lá estava que realmente pais e irmão contam...Ele chegou ao absurdo de dizer que eu precisava de dizer quanto tinham os meus pais nas suas contas no dia 31 de Dezembro de 2014 (!?)

      Eliminar
  21. Este país é mesmo uma republica das bananas!

    ResponderEliminar
  22. Olha, Pretty,se tivesses uma pequena ideia de como te compreendo... Ja me identifiquei N vezes com publicações tuas... Mas esta.... Ando numa fase tão má que nem consigo dizer mais nada. Mas força! Beijinho grande

    ResponderEliminar
  23. Eu também fiquei desempregada (again), na altura não tive direito, agora desta vez já tinha descontado o suficiente para poder receber o subsídio.
    Esse caso, parece-me que não tinhas descontado os meses suficientes (12?), mas tens a outra tentativa que é essa de que falas, que pedem o rendimento do teu agregado, e só recebe quem tiver um agregado que viva na pobreza ou perto, é decadente!!

    Tens toda a razão no que dizes! É sempre assim, para tirar é logo, para receber é preciso todos os planetas e a lua estarem todos alinhados!

    Bj

    ResponderEliminar
  24. Caramba... E não há maneira de refazerem o processo, para o subsídio de desemprego?
    Há uns anos, quando morávamos noutra casa e eu ia todos os dias comprar pão ao café em frente, via as mesma "senhoras" sentadas de cigarrinho na mão, bica à frente, na conversa na mesa do café e os filhos a correr por todo o lado. Devem ser mais ou menos do género das que falas...
    Olha, espero que consigas esclarecer as coisas e receber o que te é devido. Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não dá :( Para o subsidio de desemprego tinhamos de ter trabalho um ano a contracto, eu trabalhei cerca de 8 meses =/ O que tenho direito é o chamado subsidio inicial de desemprego ou subsidio de inserção e para ai é mesmooo preciso os rendimentos da restante familia...

      Eliminar
  25. Aconteceu-me o mesmo quando voltei de frança. Lá disseram-me que tinha direito a um subsídio por ter trabalhado, passaram-me uma declaração especial e quando cheguei cá obrigaram-me a apresentar os dados do agregado familiar. Coloquei a mesma questão que tu: "então mas eu para o IRS tenho de apresentar tudo sozinha e para receber já tem de ser o agregado?". A resposta foi que para as finanças e para a segurança social o conceito de agregado era diferente. Não tens ninguém na família que tenha casas p arrendar? Dás uma morada diferente, se te pedirem alguma despesa de renda pedes uma declaração em como te cederam a casa a custo 0 e já consegues ter o subsídio. Por muito que uma pessoa queira ser séria, com este tipo de coisas não dá. E depois queixam-se que se foge ao fisco!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente não tenho nenhuma casa arrendada para o poder fazer :( a minha única hipótese é mesmo não receber um tostão que seja

      Eliminar
  26. É por estas e por outras que abomino a forma como as coisas são feitas! Também já ouvi muita gente a gabar-se de subsídios e que nem precisam! Sou licenciada em serviço social e não me identifico nada com a licenciatura mesmo porque neste país o assistencialismo é praticado de forma exacerbada! Em vez de se identificar os casos que precisam, atribuem-se subsídios a torto e a direito e quem trabalhou não e valorizado! Enfim...

    ResponderEliminar
  27. Eu, francamente, já estou cansada deste sistema. É preciso apresentar mil e uma coisas pra receber ninharias mas pra te tirarem estão sempre prontos! E se fazem merda, ainda és tu q tens q perder tempo a resolver. Eu tb tive que fazer as apresentações quinzenais logo de início, mas assim que recebi a carta a dizer q não tinha direito a nada, caguei para aquilo. Era só o que faltava...

    ResponderEliminar
  28. Sem dúvida que é uma pouca vergonha tudo isto. Eu quando fui despedida de um trabalho de 6 meses lá no centro de emprego mandaram-me também ir à junta de 15 em 15 dias e elas tinham a certeza que eu não ia receber nada. Eu ainda disse que só queria inscrever-me no centro de emprego. Enfim.

    ResponderEliminar
  29. Isso sempre foi assim infelizmente, também em aconteceu cenas dessas na univ, por exemplo eu sabia de casos de pessoal que tinham pais com empresas e contas chorudas e recebiam bolsa, enquanto eu, que os meus dois pais trabalhavam mas tinham 3 filhos estudantes para sustentar nao recebiam 1 centimo. Enfim
    Mas quanto a isso acho que devias refilar, porque se ja fazes IRS sozinha, não fazes parte do agregado deles, nao és obrigada a entregar nada referente a eles, era só que faltava! :/

    Isa M., Tic Tac Living

    ResponderEliminar
  30. Pois... Não estou por dentro do assunto mas, já percebi que o "Estado" é como lhe convém.
    BTW: é enervada a maneira correcta de escrever. :)

    ResponderEliminar
  31. Do que sei, isso da apresentação quinzenal, se não recebes nada não tens o dever de te apresentar. No entanto, se não fores, anulam a tua inscrição no IEFP durante 90 dias, e não te enviam dados de possíveis empresas para onde possas ir trabalhar, ou seja, não te ajudam a arranjar emprego (como se eles ajudassem alguém nisso).

    ResponderEliminar