27/06/2017

Finalmente!



Desde os 19 anos que me comecei a sentir mal. Algo bem estranho que não sabia explicar mas de uma coisa tinha certeza - algo não estava bem. Com o pânico houve uma altura que ia ao hospital todos os dias - a resposta era sempre a mesma - está tudo bem! Fui a médicos e mais médicos, desesperei, gritei, chorei porque o que sentia era incapacitante e não conseguia viver normalmente com aquela sensação. Numa ida ao psicólogo por outras questões desabafei com ele que isto era esgotante e mais uma vez fui quase chamada de maluquinha - "você não tem nada, é da sua cabeça!"
Passaram-se dez anos, dez anos em que aprendi a viver com isto e a acreditar que nunca descobriria o que tenho - se calhar é mesmo da minha cabeça. Levei a minha vidinha, deixou de me incomodar e aos poucos fui deixando de sentir. Mas à pouco tempo, depois de alguns anos sem sentir grande coisa, isto voltou - e voltou em grande.
E eu pensei: Agora não me digam que não tenho nada - é bom que descubram!!
A verdade é que cheguei ao médico, expliquei-lhe tudo o que sentia e o médico teve desconfianças. Mandou-me fazer exames.
Fiz exames e mais exames - cagadinha de medo com o que poderia ser! Na minha cabeça para me sentir assim tão mal só poderia ser gravíssimo!
Passados 10 anos descobriram o que tenho! Tenho um defeito (supostamente raro) que me faz ter uma sensação bem estranha volta e meia. Basta fazer um esforço, baixar-me, rir-me ou tossir-me e lá vem a p*ta da sensação! 
O que o médico disse relativamente a uma solução? "Pois olhe não há nada que possa fazer a não ser aprender a viver com isso..."
 Pois claro, não faço nada que implique esforço à 10 anos, quando tenho crises nem baixar me posso ou segurar uma mala pesada e este gajo está me a dizer que não há uma solução?
Ainda não dei o caso como encerrado e vou averiguar mais sobre isto mas uma coisa é certa! Afinal sempre tinha alguma coisa depois de ser tratada como maluca durante tanto tempo! Só me dá vontade de ir atrás dos médicos um por um e espetar-lhes com os exames na cara (ai mas que violenta ando eu =P)

7 comentários:

  1. Por um lado é óptimo saberes o que tens, mas realmente se não tem solução por agora... Isso é mesmo chato =/

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Não deve ter sido nada fácil aprender a gerir tudo isso :/

    ResponderEliminar
  3. E se procurares a opinião de outro médico?

    ResponderEliminar
  4. Realmente é sempre bom ter respostas, mesmo que não fique tudo resolvido. Talvez se fores ouvir outra opinião possas ter uma possível solução... ;)

    ResponderEliminar
  5. Por vezes isso acontece, acho que alguns médicos facilitam demasiado, para eles nunca é nada. As melhoras*

    ResponderEliminar